28 de dez de 2014

E a bagagem não pesa, e o caminho não cansa, e os pés não reclamam, quando o que se carrega é amor...

 Eu ultimamente não tenho dado respostas prontas, sempre que alguém me para, me pede um conselho, faz perguntas, eu respondo com perguntas... Não por eu "não saber as respostas" ou por "não querer" da-las, mas porque quando se aprende a pescar, ir até a feira e escolher seu peixe na banca, é uma "merda" desculpe, a palavra e o termo mal concluído, o vocabulário pobre, mas hoje eu vejo que as pessoas não valorizam suas conquistas, quanto mais fácil.. melhor.
Percebi que vou viver, até meu ultimo suspiro buscando um lugar aonde eu realmente me encaixe, eu penso muito diferente, meus valores não são baseados em reais, nem milhares, ou milhões... Quer ver meu sorriso mais bobo, arranca uma flor e me traz, sorri pra mim, me de um abraço, nada vai valer mais... Nada vai valer mais porque quando eu estiver sozinha, vou sorrir por lembrar de você abaixando, desequilibrando, pra tirar a flor do pé, do seu sorriso bobo a trazendo pra mim, do cheiro do teu perfume quando me abraçou.
Ao contrario do que muitos pensam, não, eu não sou uma "romântica" mas prezo de mais pelos pequenos detalhes, desde que descobri que eles são meu combustível.
Me despeço sem dores quando não me sinto inteira onde estou. Quando me perco de mim. Quando não ofereço o meu melhor ao outro. Porque aprendi que não tenho qualquer obrigação de fazer as coisas darem certo. Ou elas são, ou não são. É tudo tão evidente e natural. Acredito que o amor seja sim, uma construção, dia após dia. Mas hoje sei que a parte doce deve sempre prevalecer. E nunca, em hipótese alguma, o contrário.
As coisas difíceis vieram pra me fazer virar ferro, virar aço, mas pra minha surpresa, virei é flor. Rezo todos os dias para que a gente se livre dos pensamentos ruins, das escolhas erradas, das feridas que não fecham, das pessoas amargas e dos tormentos da alma. Rezo por paz! Paz mundial - tipo discurso de mis - ahaha e paz interior, aquela que você quer sentir todos os dias quando coloca a cabeça no travesseiro; Paz é uma sensação de dever cumprido. De aceitação. De ver o seu melhor ser aceito, sem brigas. Paz é ter respeito. E paz não tem nada a ver com destino. Esse que você espera que te entregue seus planos e suas esperas na palma da sua mão. Paz é o plantio de boas ações. É o cuidado com as palavras. É a paciência no meio da tormenta. Paz é uma sensação para poucos. E um dia, eu chego lá.
As vezes a vida parece mesmo ser dividida em três fases: questionar, aceitar e agradecer. Ainda não vivenciei todas, mas sinto, dia após dia, tudo se encaminhar assim. É como se a lucidez viesse bem de mansinho pra não assustar, pra tudo ser compreendido de forma realmente determinante. É verdade que somos feitos de urgências, mas o sentido das coisas mora mesmo é na calmaria. Sempre que passo por uma situação difícil, as pessoas que me acompanham dizem para eu não perder a fé e a coragem... Ai eu paro pra pensar, na minha visão sobre coragem... Coragem, às vezes, é desapego. É parar de se esticar, em vão, para trazer a linha de volta. É permitir que voe sem que nos leve junto. É aceitar que a esperança há muito se desprendeu do sonho. É aceitar doer inteiro até florir de novo. Não bater o pé, como criança mimada, exigindo aquilo que você quer, os planos de Deus não são explicados, mas pode ter certeza que sim, fazem todo o sentido do mundo, ele sim sabe do seu coração, das suas intenções, da dimensão dos seus sentimentos. Que diferença faz então se as pessoas te acham um ser ser, mundano, perdido.. Talvez essas pessoas sim, estejam perdidas, e ainda não tenham notado, infelizmente, eu ainda preciso "pescar" meu almoço e janta de amanhã e não posso perder tempo, querendo mostrar, provar, ou explicar nada pra ninguém. A vida é uma combinação de destinos e livre-arbítrio.

A chuva é o destino, a possibilidade de se molhar ou não é escolha sua.

Nenhum comentário:

Postar um comentário